16 Sep 2007 anderson   » (Journeyer)

Experiências com Gnash no PowerPC

Estou com um notebook Apple PowerPC G4, meio antiguinho, mas está me ajudando em algumas tarefas. O método que usei para fazer sua instalação foi bastante diferente, pois o notebook está com o driver de CD-ROM quebrado e sua interface de rede não está funcionando corretamente. O jeito foi instalar via wireless (mais detalhes aqui).

A primeira instalação foi com Debian e de um tempo para cá fiz algumas besteiras na máquina onde a instalação ficou um pouco ruim. Resolvi reinstalar usando Ubuntu 7.04 dessa vez. Embora no site do Ubuntu não tenha a opção de download do ISO para PowerPC, existe os pacotes compilados para essa arquitetura. As imagens para instalação do Feisty para PowerPC podem ser encontradas aqui.

Gnash

Depois de instalado o Ubuntu via netboot, fui dar os ajustes finais no sistema para ficar do jeito que gosto. Resolvi experimentar o Gnash, que nada mais é que uma alternativa livre ao Macromedia Flash Player (agora pertence à Adobe). A versão que vem no Feisty é 0.7.2, já um pouco defasada em recursos, perante a última versão disponível no site do Gnash. Mas é possível via sources.list habilitar o repositório de Backports e utiliza e ter acesso aos pacotes da versão 0.8.0 que tem suporte até a vídeos do Youtube. Lembrando que a Adobe só disponibiliza a versão de Flash para GNU/Linux em arquitetura x86, então se você utiliza outra arquitetura, o Gnash pode ser uma excelente alternativa, principalmente pelo fato de ser livre.

Lá fui eu habilitar o repositório de Backports do Ubuntu. Fiz a instalação, conforme abaixo:

sudo aptitude install mozilla-plugin-gnash

e logo em seguida estava com o plugin instalado e suas respectivas dependências. Fechei o Firefox e abri novamente para reconhecer o novo plugin e fiz alguns testes entrando em sites que possuem flash. O resultado foi satisfatório, embora ainda tem muito o que melhorar. Seu consumo de memória ainda é alto e o Firefox dá uma pequena travada ao acessar o Youtube. Os vídeos não ficam com uma qualidade perfeita, dá uns pulinhos, mas também é melhor que nada.

Em outros sites onde tem apenas alguns componentes flash, não tive problema algum. Foi possível navegar perfeitamente entre eles.

Resumindo: É uma ótima alternativa livre aos plugins proprietários, principalmente para quem utiliza GNU/Linux em uma arquitetura diferente da x86, como no meu caso que tenho um PowerPC e um AMD64. Ainda tem muito o que melhorar, mas acredito que o projeto vai atingir o nível de excelência em pouco tempo.

Syndicated 2007-09-16 19:31:46 from Christiano Anderson

Latest blog entries     Older blog entries

New Advogato Features

New HTML Parser: The long-awaited libxml2 based HTML parser code is live. It needs further work but already handles most markup better than the original parser.

Keep up with the latest Advogato features by reading the Advogato status blog.

If you're a C programmer with some spare time, take a look at the mod_virgule project page and help us with one of the tasks on the ToDo list!